Tripas à moda do Porto

A cidade do Porto é gastronomicamente conhecida por uma receita típica, com muita venda em Porto e arredores, que se torna um petisco irresistível. As tripas à moda do Porto, confeccionadas com feijão branco, cenoura, tripas de vaca ou vitela, chouriço, carne de porco entremeada e vários tipos de enchidos, como presunto, morcela ou outros a gosto, bem regadas com um bom vinho verde tinto, bem característico de Portugal, deliciam os turistas e pontuais visitantes. Em qualquer restaurante ou tasca, as tripas à moda do Porto sempre foram e serão o símbolo desta maravilhosa cidade, não fossem elas uma verdadeira delícia. Quem prova, por norma não o faz uma única vez e quer certamente voltar a repetir. Este prato típico, de sabor inigualável e distinto,  é quase sempre acompanhado com um arroz branco, soltinho, bem à moda dos Nortenhos.

Conta a lenda, que esta receita nasceu no tempo dos descobrimentos portugueses, quando o infante D. Henrique, em 1415, pediu aos moradores da cidade do Porto, para ajudarem com alimentos, de forma que se enchessem as embarcações para a conquista de Ceuta. É então, segundo a lenda, que os portuenses arranjaram as carnes, limparam e salgaram-as para que se pudessem conservar durante bastante tempo. Por fim, a única coisa que sobrou desses animais enviados, foram as miudezas e neste caso também as tripas. Como o povo nortenho sempre foi habituada a sobreviver, logo pensou como fazer para aproveitar as tripas, numa época de difíceis recursos. Foi então que se experimentou este prato, bem sucedido, perpetuando até hoje como um piteu singular. Por tudo isto, se pensa que aos habitantes do Porto, se tenha atribuído o famoso e conhecido nome de tripeiros, que curiosamente as pessoas do Porto usam e abusam com orgulho. Para este povo nortenho, conhecido pela pronúncia característica, não é estranho ouvir dizer alto e a bom som :

– Este é do Porto, carago!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *